A Fox deu continuidade a série O Exorcista devido ao grande sucesso de sua 1ª temporada. E os fãs novamente puderam ver os “heróis” Marcus (Ben Daniels) e Thomas (Alfonso Herrera) em um confronto carnal e psicológico contra os demônios. A produção segue a sequência utilizando como base a obra clássica de William Peter Blatty, mas desta vez não temos a Família Rance como alvo do mal.

O forte da produção continua sendo a interação entre os padres, o laço entre mestre e pupilo é muito bem explorado, e as atuações de Daniels e Herrera elevam as coisas. Mas esta nova temporada não fica pautada apenas nesta interação ou na ascensão dos demônios na alta cúpula da igreja. A história tem como palco principal um lar adotivo comandado por Andrew Kim (Jonh Cho) e residido por 5 adolescentes. Então, logo somos apresentados a um novo caso demoníaco.

O Exorcista 2ª temporada
Verity (Brianna Hildebrand), logo a frente, com outros moradores da casa.

Um fator muito importante presente na temporada anterior, mantido nesta nova temporada, foi o nível de tensão e suspense. A ambientação, trilha sonora e utilização dos mecanismos de horror necessários formam utilizados, sem precisar de exageros e violência visual. Outro quesito importante, todo aquele gore utilizado na 1ª temporada foi reduzido, nada daqueles fluidos exagerados realizados anteriormente. Não que esse fator seja prejudicial, mas mostra um amadurecimento neste gênero, ou seja, não precisa de coisas nojentas para chocar e assustar o espectador.

A empatia pelos novos protagonistas demora a engrenar, mas depois de uns 5 episódios eles ganham uma enorme relevância. Cada indivíduo tem sua característica e espaço necessário para ser apresentado. O destaque vai para a personagem Verity (Brianna Hildebrand), a atriz foi uma ótima aquisição para o elenco. A personagem demonstra ser a típica adolescente rebelde, cética e revoltada com suas experiências passadas. Mas no decorrer dos episódios sofre uma evolução passando a mostrar que tais características são apenas uma proteção para disfarçar uma pessoa amorosa, meiga e sofrida.

Outro destaque ou evolução foi o ator Alfonso Herrera, interpretando o padre Thomas seu desempenho foi primoroso. Se na 1ª temporada seu personagem estava contido e cheio de dúvidas. Nesta nova saga ele demostrou coragem e audácia para enfrentar os demônios, entrando em fortes embates psicológicos com o inimigo. Uma evolução no personagem que tem total lógica dentro da narrativa de O Exorcista 2ª temporada, e foi bem executada pelo ator.

O Exorcista 2ª temporada
Os Padres Marcus e Thomas confrontando o mal.

O Exorcista 2ª temporada apresenta momentos eletrizantes e o espectador é direcionado a uma conspiração maior do que qualquer possessão em uma residência ou uma ilha. Mas o roteiro parece não querer desenvolver esta história para a narrativa render mais temporadas, a mesma estratégia da temporada anterior.

O roteiro manteve o nível do anterior, não ouve inovações, a narrativa permaneceu em sua área de segurança. Ou seja, mostrou um pouco do passado dos protagonistas; manteve um clima de suspense em torno do sobrenatural; teve um plot twister e confrontos psicológicos entre os heróis e os inimigos. Mas tais fatores são desfavoráveis para a franquia. Será que a temática não tem mais o que desenvolver? Será que, como muitos estilos de terror, as ideias estão saturadas? Espero que não!

O Exorcista 2ª temporada mantém seu nível dentro de seu formato narrativamente seguro. Ao que parece está existindo uma falta de criatividade ou estão guardando o melhor para depois. Cabe ao espectador ter paciência para ver se o desenrolar vai ter algo inovador ou aceitar a saturação do gênero.