Manhunt: Unabomber 1ª temporada é uma série de investigação criminal baseada em fatos reais da Netflix em parceria com o Discovery Channel. A série tenta seguir os passos da bem-sucedida Mindhunter, abordado crimes moralmente questionáveis. Ao mesmo tempo que tenta explicar como funciona a mente dos criminosos e o impacto de seus crimes na sociedade.

A produção criada por Andrew Sodroski, acompanha uma investigação do FBI envolvendo uma série de atentados à bomba ocorridos nos anos 80 e 90 pelo terrorista Ted Kaczynsky (Paul Bettany), vulgarmente chamado de Unabomber. Os seus crimes consistiam em enviar bombas pelo sistema de correios que explodiam ao serem abertas pelas vítimas.

Como Unabomber era muito organizado e meticuloso, seus crimes não deixavam rastros ou pistas. Por estes fatores foi convocada uma força-tarefa com diversos profissionais para rastrear o criminoso.

Em meio aos diversos profissionais convocados pelo FBI, temos Jim Fitzgerald (Sam Worthington). Jim é especialista em traçar perfil de criminosos, e desenvolve uma nova forma de traçar perfis através da linguagem escrita. Já que as únicas pistas, para descobrir quem é o Unabomber, são diversas cartas. Enviadas pelo próprio criminoso para órgãos federais e imprensa.

Manhunt: Unabomber 1ª temporada
Jim Fitzgerald (Sam Worthington)

A filosofia do criminoso é confrontar a tecnologia e o modo de vida criado pela modernidade. Para ele, todo o avanço tecnológico aprisionou a humanidade em vidas sem sentido e controladas por grandes conglomerados de empresas. Esta forma de pensamento faz com que o espectador acabe entendendo, e até mesmo concordando, com os feitos do Unabomber.

Mas até que ponto um protesto tão extremo pode ser considerado algo bom? Você acharia aceitável um ente querido receber uma bomba pelo correio? Protestar tirando vidas é correto? A guerra vale a pena para quem? Todos estes questionamentos são feitos nas entrelinhas do roteiro da produção. E nós somos o tempo inteiro apresentados aos dois lados do acontecimento.

A série, dividida em 8 episódios, mostra uma forte aproximação entre o investigador e investigado. Ao ponto deles criarem admiração um pelo outro. Fitzgerald sacrifica toda a sua vida pessoal para se aprofundar nas investigações. A relação dele com o assassino é uma profunda mistura de admiração e ódio.

Manhunt: Unabomber 1ª temporada é dividida em algumas linhas temporais, acontecimentos antes da investigação, durante a investigação e após o caso ser concluído. Então tenha atenção para não ficar confuso. As partes mais relevantes são as do julgamento de Ted, momento em que vemos o potencial do ator Paul Bettany. E a infância do personagem, mostrando os fatos que o levaram a ser o Unabomber.

Manhunt: Unabomber 1ª temporada
Ted Kaczynsky/Unabomber (Paul Bettany)

A série é muito arrastada, seu roteiro não prende a atenção e em muitas partes se torna confuso e controverso. Existe um forte exagero ou uma necessidade de justificar os crimes realizados pelo Unabomber, e em muitos momentos parece que a produção quer retrata-lo como um herói injustiçado.

E para complicar mais ainda, o investigador interpretado por Sam Worthington (Avatar, Fúria de Titãs, Exterminador do Futuro: a Salvação) é mau executado e genérico, o ator mais uma vez mostrou não possuir carisma para protagonizar uma produção. É mais fácil o espectador ganhar empatia pelo Unabomber.

Em contra-partida toda a filosofia do terrorista, apesar de ser válida, acaba sendo insignificante e se perde em meio ao roteiro, logo nos primeiros episódios. A maneira caricata e clichê de personificar um criminoso com possíveis problemas psicológicos, e ao mesmo tempo um gênio menosprezado pela sociedade não funcionam.

Todo o manifesto e discurso sócio político de Ted, durante a maior parte da produção, são simplesmente derrubados quando as vitimas dos ataques dão seus depoimentos no tribunal no episódio final. E o criminoso, que antes tinha total convicção e orgulho de seus atos, parece se arrepender. Como se ele não soubesse que suas bombas matavam ou feriam pessoas. Realmente existe uma necessidade no roteiro de fazer o Unabomber ser um visionário injustiçado ou um pobre coitado.

A fotografia, ambientação e trilha sonora de Manhunt: Unabomber 1ª temporada não convencem. Tudo acaba perdido em meio ao roteiro que não apresenta um proposito definido. Afinal, um bom roteiro e direção é o que fazem uma produção ter destaque em seu audiovisual.

Infelizmente Manhunt: Unabomber 1ª temporada está longe de ser o próximo Mindhunter. Uma produção com personagens caricatos e mau-interpretados em meio a uma narrativa confusa, mostraram que a Discovery e Netflix não são uma boa dupla.