Tempo de leitura: 03:34 min

Kujira no Kora ou Filhos das Baleias: Primeira Temporada é o novo anime da Netflix em parceria com o estúdio J.C. Staff, lançado sem nenhum marketing ou divulgação agressiva.

O anime acompanha a vida de Chakuro, um jovem com a função de “registrador” da história de sua tribo na ilha em que vive. A ilha em questão é a “Baleia de Lama”, uma pequena faixa de terra que se movimenta em meio a um oceano de areia. Isso mesmo, a ilha não fica em um oceano com água, ela navega em meio ao imenso deserto de areia.

Durante as narrativas de Chakuro e sua vivência descobrimos 2 espécies de indivíduos na tribo. Uma parte são como humanos normais, chamados de “não-marcados”, e a outra é constituída de pessoas com poderes místicos telecinéticos, intituladas de “marcadas”, quando utilizam seus poderes aparecem tatuagens em seus corpos.

Os “marcados” tem seus poderes advindos da timia, a fonte de seus poderes. Eles constituem 90% da população na “Baleia de Lama” e sua expectativa de vida é só até os 30 anos. Já o “não marcados” podem chegar até os 60 anos, e ocupam os cargos importantes da ilha, como prefeito e o conselho, são eles quem decidem os rumos e regras da tribo. A maioria da população, apesar de possuir poderes, são pacíficos e apenas vivem suas vidas simples e isoladas.

Filhos das Baleias: primeira temporada
Baleia de Lama

Toda a paz da “Baleia de Lama” é abalada quando outra enorme ilha, com o formato de um navio de guerra, aparece no horizonte. O contato entre as tripulações é desastroso e mortal. A outra ilha é constituída de uma frota de soldados do império. Nesse momento o povo da “Baleia de Lama” descobre que não estão sozinhos no mundo, existe algo bem maior para ser explorado. Falar mais que isso da história seria entregar spoilers, estragando a bela narrativa do anime.

Filhos das Baleias: primeira temporada possui uma enorme narrativa profunda e mística de deixar qualquer um deslumbrado. Imagine você, vivendo em uma local que parece ser o único existente no mundo, com suas rotinas, seguindo as leis e apenas vivendo como se só tivesse aquilo para viver. Um paraíso intocado! Mas, do dia para a noite, você descobre que tudo aquilo na verdade é uma enorme prisão. Esse é o choque causado pela narrativa do anime.

Não espere misericórdia na narrativa, apesar de sua temática mística, Filhos das Baleias consegue ser brutal em retratar o impacto de uma guerra. Mortes são mostradas com cenas de lutas bem executadas e lindamente coreografadas.

O roteiro tem uma profundidade poética. Ele nos faz refletir sobre a importância das emoções para os seres humanos, e em como seriamos sem estes sentimentos. Dor, alegria, fúria, amor, compaixão… realmente são necessários? Ou a humanidade seria mais eficaz sem eles? Raiva e ódio causam guerras, então não seria melhor nos livrarmos deles?

Filhos das Baleias: primeira temporada
Chakuro usando seus poderes da timia.

O povo da “Baleia de Lama” vive com seus sentimentos livremente em um local com um estilo de vida arcaico. Enquanto seus atacantes abriram mão das emoções para construírem uma nação com alto nível tecnológico e poderosa. Está forma de ver o mundo é o que move toda a animação, e muitas vezes comove também.

Filhos das Baleias: primeira temporada tem um lindo traço com ótimas cores e movimentação fluida. Toda a ambientação combina perfeitamente com a narrativa. A coloração tem tons vibrantes e claros para ofuscar os olhos. Mas com a chegada dos invasores a atmosfera muda para tons escuros e em meio as batalhas o sangue rubro toma conta do paraíso. O éden vira um inferno!

Minha única ressalva sobre o anime seria seus personagens, eles são bem clichês. Não existe novidade nas personalidades dos protagonistas ou antagonistas. Todos são bem simples e previsíveis, o espectador acostumado em assistir animes não se surpreenderá com suas ações ou progressos.

Kujira no Kora ou Filhos das Baleias: primeira temporada possui uma direção de arte e enredo excelentes com diálogos agradáveis. Toda a narrativa é muito bem contextualizada e amarrada, tem todos os elementos de um bom shounen. Sem dúvidas foi uma ótima aquisição da Netflix e fica na lista de melhores animes do canal de streaming.