Tempo de leitura: 03:19 min

B: The Beginning 1ª temporada é o novo anime original Netflix em parceria com a Production IG. A animação é um suspense policial, sobrenatural e sci-fi com uma narrativa que lembra Death Note. Mas só lembra mesmo, ele não consegue replicar o poder narrativo da obra de Tsugumi Ohba.

O anime é produzido com muita qualidade. Sua animação é fluida e sua arte é de alto nível, seja no design dos personagens ou nos cenários. E uma trilha sonora poderosa adicionada à estes fatores torna a animação, no mínimo, tecnicamente bem feita e narrativamente divertida.

A sinopse é a seguinte, em um mundo impulsionado por tecnologia de ponta, o crime e a ação ganham vida no arquipélago de Cremona. Em a meio a narrativa temos Koku, um estranho jovem; Keith, o lendário pesquisador da polícia científica e uma organização criminosa misteriosa chamada Market Makers. Todos eles estão ligados ou tem interesse no misterioso assassino Killer B, que vem ocasionando uma série de assassinatos em Cremona.

B: The Beginning 1ª temporada - Detetive Keith.
Detetive Keith.

O jovem Koku, que deveria ser o protagonista, tem pouco tempo de tela e torna-se apagado, dando espaço para o detetive Keith “brilhar”, com seu jeito excêntrico e muitas vezes atrapalhado. O detetive veterano é quem dá toda a carga dramática para a série, enquanto Koku possui uma identidade pouco explorada e sem carisma. Mas ambos são protagonistas, e B: The Beginning gira em torno deles.

As vidas dos protagonistas e antagonistas se cruzam graças ao assassino em série Killer B, que se dedica a matar outros assassinos. Mas as vítimas de B não são simples bandidos, eles são experiencias genéticas falhas criadas pela própria monarquia de Cremona.

O detetive Keith estava afastado da Polícia Científica à anos, após o assassinato de sua irmã. Mas suas investigações durante esse tempo o levaram a descobrir uma ligação entre uma tragédia ocorrida no passado em um orfanato, o assassinato de seu pai, Killer B, a morte de sua irmã e até mesmo o governo. A própria polícia está corrompida, e Keith parece ser o único que enxerga a verdade.

Depois do sucesso de Devilman Crybaby, os assinantes ficaram esperançosos com os animes originais Netflix, mesmo sabendo do fracasso do live-action de Death Note e o chato Godzilla: Planeta Monstro. Mas B: The Beginning 1ª temporada deixa o espectador na dúvida em decidir se a produção é realmente boa. Existe muitos pontos bons em meio aos ruins.

B: The Beginning 1ª temporada - Koku.
Koku.

A animação funciona como um ótimo thriller. A narrativa criada por Kazuto Nakazawa é extremamente eficiente em criar curiosidade no espectador do início ao fim. Todo o suspense e mistério da história é muito envolvente. Porem existe, entre a cruzada de Keith e Koku, uma certa desconexão. O roteiro cria laços entre as histórias em uma tentativa de torna-las inseparáveis. Mas os argumentos para tal, são feitos de maneira vomitada e forçada.

A narrativa da história não estabelece alicerces convincentes. Transformando a origem de Koku e o passado nebuloso de Keith em fatores mau-desenvolvidos. O mesmo ocorre com o vilão. Ele só é revelado nos episódios finais, e a sua importância na narrativa é explicada às pressas e de maneira má-executada.

B: The Beginning 1ª temporada investe em ótimas cenas de ação com uma arte linda, diálogos fabulosos e um clima tenso e forte. Porem deixa muitos furos em aberto, e não chega ao nível de ser considerado uma grande obra.

Sinceramente a animação me agradou muito de uma maneira geral. Mas precisaria mais de 12 episódios para haver um desenvolvimento digno de uma grande animação. De qualquer maneira ainda pode ser considerada uma das melhores animações japonesas criadas pela Netflix. E vale ser indicada para incentivar o canal a produzir mais animes voltados para o público adulto. Quase chegou lá Netflix, falta pouco! Por favor, continue tentando.