Atypical 1ª temporada foi uma surpresa. Eu fico extremamente feliz quando encontro algo original ou autêntico para assistir, adoro iniciativas com temas pouco abordados. E neste quesito a Netflix e a Amazon Prime Video estão satisfazendo meu paladar e fome de originalidades na TV.

Antes dos serviços de streaming minha mente andava entediada com mais do mesmo sempre. Sempre os mesmos formatos, clichês e temas saturados das séries televisivas. Mas voltando ao presente momento, a Netflix “presenteou” sua vasta lista de assinantes com uma série intitulada Atypical.

O protagonista da produção é um adolescente autista chamado Sam (Keir Gilchrist), que está no ensino médio e se depara com todos os problemas e complexidades de qualquer adolescente normal. Acompanhando os dilemas do jovem está sua família, constituída por: sua mãe Elsa (Jennifer Jason Leigh); seu pai Doug (Michael Rapaport); e sua irmã Casey (Brigette Lundy-Paine).

Atypical 1ª temporada
Elsa, Casey e Doug

Ao redor do jovem, que vive no espectro do autismo, existem todos os tipos de clichês ou estereótipos retratados em qualquer série adolescente. Bastante típico, correto? Mas esqueça isso, Atypical 1ª temporada possui um roteiro com abordagens completamente atípicas de qualquer produção teen. O tempo inteiro os diálogos inteligentes questionam as atitudes dos personagens, a partir da visão do protagonista, de forma cômica e descontraída com um humor negro e bastante ácido.

Atypical se desenvolve na visão de Sam e na forma como ele pensa e vê o mundo. Para auxilia-lo nas complexidades do dia a dia ele faz sessões com a psicóloga Julia (Amy Okuda). E também conta com os conselhos de seu colega de trabalho Zahid (Nik Dodani), que sempre tem as mais loucas ideias sobre mulheres e sexo.

Atypical 1ª temporada
Sam e Zahid trabalhando

Em seu círculo familiar as coisas não seguem bem ajustadas. Seu pai e sua mãe possuem um relacionamento “balançado” por não saberem como atuar com seu filho autista. E sua irmã tenta se enquadrar como uma adolescente de destaque na escola, tudo muito simplório e a princípio parece mais um drama familiar.

Mas o segredo da série é a visão de Sam, a maneira extremamente literal e lógica com que ele interpreta as coisas ao seu redor. Ele é desprovido de entendimentos sobre os sentimentos e sensações humanas convencionais, e dessa forma ele encara a vida de maneira puramente didática. Porem ele quer entender a sociedade e seus sentimentos, e se esforça a sua maneira.

Atypical 1ª temporada realmente torna-se divertida quando Sam começa a tentar entender o amor. E questionar as regras estipuladas pelo senso comum. As atitudes de Sam diante das situações são imprevisíveis. E seus pensamentos fazem o telespectador também se indagar sobre os parâmetros do senso comum. E acabar concordando com os questionamentos e lógicas do protagonista.

Atypical 1ª temporada
Sam em uma boate de striper!

Esta brincadeira ou critica nos faz criar uma enorme empatia pela série. E começamos a perceber, que para compreender as diferenças do outro, devemos abrir nossa mente e escutar, porque aquela pessoa também te vê como diferente. Respeitar a individualidade dos outros é a principal mensagem de Atypical.

Além do roteiro espetacular, o ator Keir Gilchrist representa muito bem. Ele sempre demonstra o desconforto, confusão e sinceridade nua e crua de Sam. Tudo de uma maneira leve e inocente. Mas seus questionamentos não são bobos ou infantis, muito pelo contrário. São questões que o senso comum ignora, não quer enxergar ou demora para perceber devido aos parâmetros de normalidade criados pela sociedade dita comum.

Atypical 1ª temporada possui uma ambientação comum e uma trilha sonora quase que inexistente. Mas o segredo está nas falas e a dinâmica como elas ocorrem, tornando a produção extremamente fluida e agradável. Seja uma conversa entre amigos, familiar, amorosa, dentro de um carro ou com a psicóloga. Atypical sempre fará o telespectador sorrir ou se questionar. O humor ácido é muito bem dosado e aproveitado na hora certa, sejam em situações constrangedoras ou típicas.

Criada por Robia Rashid com 8 episódios de aproximadamente 30 minutos cada, Atypical 1ª temporada pode ser assistida em um dia facilmente. E esta autêntica e perspicaz série te fará perceber que diferenças e anormalidades são apenas uma questão de perspectiva. Quando nos posicionamos ou simplesmente damos oportunidade, a visão do outro pode se tornar a nossa.

Pague um café!

Gostou desse artigo? Que tal pagar um café ao nossos Autores? Eles ficarão felizes com seu apoio =)

REVER GERAL
Atypical 1ª temporada
COMPARTILHAR
Artigo anteriorGame brasileiro No Heroes Here chega para PCs via Steam
Próximo artigoFullmetal Alchemist ganhou um novo trailer espetacular
Sempre almejei ser orfão de pais bilionários, ganhar poderes com a radiação solar ou proteger a Deusa Athena, mas "One-above-all" não concedeu - me tais dádivas. Descontente com o destino que os deuses me impuseram tornei-me um leitor compulsivo, PCgamer, série maníaco e cultuador da força. Qual pílula você quer? A azul ou vermelha ?