DLCs
Tempo de leitura: 05:18 min

Quem já é gamer há algum tempo com certeza se lembra dos pacotes de expansões. Aquele conteúdo tão aguardado e repleto de novidades. Mas as coisas mudam e com a popularização da internet aos poucos as DLCs foram ganhando espaço e isso parecia ser algo realmente muito bom, pois teríamos muitos conteúdos adicionais. Porém o problema é que algumas empresas (leia gananciosas) parecem querer explorar os jogadores e viram apenas uma forma de lucrar ainda mais e é por isso que eu sou contra a forma como as empresas tratam as DLCs hoje em dia. Venham comigo que irei explicar o motivo.

Vamos separar as coisas

Primeiro vamos tentar definir o significado de Pacote de Expansão e DLC. A principal diferença entre elas é que uma DLC é distribuída digitalmente, enquanto um Pacote de Expansão geralmente vem em uma mídia física. Por via de regras o Pacote de Expansão possui conteúdos muito mais significativo para o jogo, enquanto a DLC muitas vezes são adições pontuais como roupas ou armas. Mas ainda assim é comum que existam expansões que são distribuídas digitalmente como é o caso de World of Warcraft ou até mesmo The Witcher 3: Hearts of Stone.

Um pouco da história das DLCs

total annihilation
Total Annihilation um dos primeiros a oferecer o formato das DLC

Apesar de ter realmente se popularizado na geração passada, a história da DLC não é nova. Um dos jogos pioneiros foi Total Annihilation, lançado para PC em 1997 pela Cavedog, que disponibilizava conteúdo gratuito todo mês. Já nos consoles o Dreamcast foi o primeiro console a suportar DLCs, mas foi no Xbox que a distribuição começou a ganhar fama com conteúdo para jogos como Halo e Ninja Gaiden. Com a chegada do Xbox 360 o DLC se popularizou ainda mais e não demorou para que todas as empresas percebessem o potencial dessa nova forma de distribuição.

Vamos ao foco do problema

A ideia realmente é genial, eu compro o meu jogo e continuo tendo conteúdo para ele durante muito tempo. Mas o problema começou quando as empresas viram um grande potencial de lucro e passaram a pensar somente nisso.

Veja só, você acaba de comprar um jogo e no dia do seu lançamento já existem algumas DLCs a venda. O único sentimento que fica é que o meu jogo foi esquartejado antes de chegar a prateleira e eu tenho que ir pagando pelos seus pedaços. Ou então você termina um jogo e já corre para a Steam a procura de conteúdo adicional para poder estender um pouco mais a sua vida útil e é então que você se depara com uma sensacional lista de skins custando 4,99 dilmas cada. Serio que uma empresa está me cobrando R$ 4,99 pela skin de um personagem?

DLCs
Em breve teremos que ir “montando” os jogos para ser possível utiliza-los.

E as coisas ainda podem ficar melhores, afinal a Capcom sempre pode superar as expectativas. Quando Street Fighter X Tekken foi lançado o jogo ganhou algumas DLCs pagas com personagens novos, o problema foi quando se descobriu que esses personagens já estavam no jogo, você já pagou por aquilo, mas agora precisava comprar uma DLC para desbloquear algo que você já tinha.

Mas é logico que as DLC não podem levar toda a culpa, a ideia é ótima, apesar de algumas pessoas usarem de forma abusiva. Se eu já comprei o jogo porque tenho que ficar pagando por conteúdos adicionais a todo momento? Não vejo problemas em pagar por grandes conteúdos que irão me conceder mais horas de jogo, mas ficar pagando por skins, armas ou até mesmo credito pra usar dentro de um jogo offline parece ser um pouco demais quando você já se tornou dono do jogo. E não adianta falar que todas as empresas são assim, porque a CD Projekt Red esta ai para dar um tapa na cara da sociedade e ir contra essa pratica de DLCs pagas.

Desde o lançamento de The Witcher que a empresa mantem a pratica de não cobrar por conteúdos adicionais. Os dois primeiros jogos ganharam as versões “Enhanced Edition” com melhorias e alguns conteúdos extras, já o terceiro jogo ganhou simplesmente 16 DLCs gratuitas contendo armaduras, armas e novas aventuras. Segundo Marcin Iwinski, co-fundador da empresa, os jogadores já pagaram pelo jogo, a empresa deve esses conteúdos a eles e como gamers eles gostariam de ser tratados dessa forma. Já a expansão Hearts of Stone foi paga, contudo isso é algo compreensível quando você percebe que ela adicionou cerca de 11 horas de jogo e vai muito além de apenas conteúdos pontuais. Quem comprou pagou por mais jogo, simples assim.

Os dois lados da moeda

Claro que tudo possui um outro lado e aqui não seria diferente. Produzir um conteúdo adicional demanda tempo e tempo é dinheiro. Até mesmo quando um jogo já é lançado com DLCs pode ser que a empresa tenha precisado aumentar a equipe de desenvolvimento para entregar um maior conteúdo ou finalizar o jogo e por isso tenta cobrir esses custos adicionais através das DLCs. Além, claro, de ajudar a empresa a lucrar mais e futuramente poder produzir mais jogos.

Mas ainda assim, como eu disse anteriormente, o problema não é pagar por mais conteúdo, o problema é pagar valores altos por besteira. Pagar 6,29 dilmas em uma skin e uma arma para Lara Croft no jogo Rise of Tomb Raider parece um pouco demais.

Rise of the Tomb Raider

Conclusão

Não acredito que as DLCs deveriam ser extintas mas sim que as empresas deveriam seguir os mesmos passos que a CD Projekt Red, se os jogadores já pagaram pelo jogo eles tem direito ao conteúdo adicional e deixa para cobrar por algo que seja realmente significativo. As empresas parecem querer lucrar de todas as formas possíveis e muitas vezes acabamos vendo grandes jogos com diversas DLCs bestas, mas realmente sem nenhuma significativa e que valha a pena comprar.

É logico que ninguém é obrigado a comprar nada, o conteúdo esta lá e compra quem quer, mas o simples fato do seu jogo chegar em sua mão esquartejado e você ter que ir pagando pelos pedaços deixa um terrível sentimento de que você comprou algo incompleto, afinal muitos de nos viemos de uma época em que esses conteúdos eram desbloqueados com nossas habilidades e não com nossas carteiras.

O que vocês pesam sobre o assunto? Acreditam que o mundo das DLCs é mercenário? Ou que as coisas funcionam da forma como deveriam? Não se esqueça de deixar seu comentário.

Fonte da imagem de capa: Joy Reactor