terceiro dia do Anime Friends 2017

Agora é hora de você conferir tudo que rolou no terceiro dia do Anime Friends 2017. Nesse último dia tivemos um painel dedicado ao fãs do bruxo mais famoso do momento, Harry Potter. Guilherme Briggs falando sobre o mercado nacional de dublagem, um momento nostagico com uma homemagem aos Cavaleiros do Zodiaco e por fim a final do concurso WCS Brasil.

Ah! Se você não viu, confira como foram o primeiro e segundo dia do Animes Friends 2017.

Painel “O Universo Harry Potter” anima fãs do mundo mágico de J. K. Rowling no Anime Friends 2017

“Já faz 20 anos”. Foi assim que Lucas Mendes iniciou a palestra ministrada por ele e seu companheiro no fã clube Magic Potter, Murilo de Oliveira, às 13h no Auditório BCC durante o terceiro e último dia de Anime Friends 2017. Lucas referia-se às duas décadas desde o lançamento da primeira edição do livro Harry Potter e a Pedra Filosofal. De lá pra cá, uma legião de fãs conheceu e se apaixonou pelo universo criado magistralmente pela britânica J. K. Rowling, e foi com base na vivência de fãs que ambos decidiram compartilhar os segredos, curiosidades e alegrias de ser Potterhead.

O conteúdo da palestra, bem interativa e dinâmica, contou com o compartilhamento de experiências dos apresentadores e do público, além de informações valiosoas para quem se interessa ou mesmo já participou de viagens e atrações internacionais relacionadas ao universo mágico de J. K. Rowling. Lucas e Murilo também dedicaram seu tempo com uma boa explicação sobre alguns personagens-chave, além de convidarem quatro pessoas na plateia para contar quais eram seus personagens favoritos e o porquê – o professor de Poções, Severo Snape, foi a campeão de citações.

A dupla de auto-declarados sonserinos ainda teve tempo de dividir com os ouvintes um pouquinho da paixão por colecionáveis – raros ou não – do mundo de Harry Potter, como uma réplica fiel do medalhão de Salazar Sonserina que Murilo carrega consigo, e a famosa Taça Tribruxo, item da mitologia potteriana guardado a sete chave por Lucas.

Dubladores de One-Punch Man revelam principais desafios do mercado e comentam curiosidades sobre a versão brasileira

O painel especial de série One-Punch Man contou com a presença do diretor de dublagem da versão brasileira, Diego Lima, e dos dubladores Yuri Chessman e Michel Di Fiori que emprestam suas vozes aos protagonistas Saitama e Genos, respectivamente. Durante o bate-papo no Auditório BCC, eles falaram um pouco mais sobre a construção de cada personagem e contaram detalhes dos bastidores das gravações dos 12 episódios da atração que foram lançados no último dia 1 de julho pela plataforma da Netflix.

 Michel Di Fiori (Genos) e Yuri Chesman (Saitama) dubaldores de One Punch Man
Michel Di Fiori (Genos) e Yuri Chesman (Saitama) dubaldores de One Punch Man. Foto por NB Press

“Fomos instruídos a manter todos nomes de personagens e dos golpes originais. Foram mais de 75 testes de voz para definir o elenco. Desses, apenas oito foram aprovadas. Procurávamos por um grupo de dubladores que ainda não fosse muito famoso no meio do anime”, explicou Diego Lima, que tem no currículo a direção de dublagem da recente versão brasileira de A Lenda de Tarzan e da série Deuses Americanos.

“O público deve pegar no nosso pé para ajudar a melhorar a qualidade da dublagem nacional. Entendemos que essa exigência é uma forma de prestigiar nosso trabalho já que existe muita dublagem ruim por aí”, destacou Yuri Chessman, de 32 anos. Ambos contaram que começaram a atuar nesse mercado bem cedo e confessaram que depois de mais de 15 anos produzindo vozes e interpretando diversos personagens, hoje os fãs conhecem melhor o trabalho deles do que eles mesmos. “São muitos papéis diferentes, entre séries, filmes, documentários e programas de reality show. Precisaria de fazer uma ‘cola’ para conseguir me lembrar de todos”, concorda Michel Di Fiori, de 28.

Quando perguntado sobre seus papéis preferidos, Yuri não hesitou em dizer que foi dar voz ao jovem professor Xavier na trilogia X-Men nos cinemas. Ele também dublou o ator Taylor Lautner na Saga Crepúsculo e deu vida ao Endou de Super Onze, entre outros. Já Michel, além de atuar como diretor de dublagem, interpretou personagens nas séries The Walking Dead (Aaron), Porco Cabra Banana Grilo (Porco), Gotham (Jerome) e Naruto (Neji).

NewPOP anuncia cronograma de lançamentos para o trimestre e adianta seu interesse em diversificar sua oferta de produtos da editora

Em sua palestra no Auditório BCC, Junior Fonseca, o fundador da Editora NewPOP, comentou sobre a concorrência, testes de impressão com papel reciclado e, claro, revelou alguns dos lançamentos que a empresa está preparando: Toradora, Shakugan No Sashana e Re:Zero. “Por uma questão de tempo, esse ano não trouxemos nada mais bombástico para o nosso estande, mas ainda teremos muitas novidades até o final do ano”, justificou.

Ele contou que no momento está focado em parcerias fora do mercado, junto com redes de varejo e do setor alimentação para explorar o licenciamento de personagens de mangás. A ideia dele é apresentar o vasto catálogo de títulos da editora também em novos produtos e formatos, como o caso da versão especial do energético Fontt para o Anime Friends 2017, que divulga imagens do mangá Happiness antes mesmo de seu lançamento no país.

Fonseca contou que iniciou sua carreira em 2001 como redator na Escala. Meses depois, foi promovido e passou a cuidar de todo o departamento de conteúdo ligado a animes, mangás e cultura pop em geral. Em paralelo a sua carreira editorial, ele também foi gerente da Comix Book Shop, a maior loja do segmento do país. “Acredito que essa minha experiência em entender e ouvir o público seja nosso maior diferencial”, destaca.

Atualmente a NewPOP publica sucessos como Madoka Magica, No Game No Life, Fate/Zero, Loveless, Usagi Drop, Don Drácula, Street Fighter, NO.6 e Log Horizon. Fundada em 2007, a editora ganhou grande simpatia dos leitores graças a escolha de alguns títulos conhecidos e outros muito curiosos. Recentemente, lançou um selo para publicação de mangás eróticos e vem apostando na publicação de livros. “Não há nenhuma expectativa de aumento dos preços. Continuaremos trabalhando só em livrarias, eventos e online. E, não se preocupem, nós não cancelamos nenhuma série. Queremos oferecer um catálogo sempre disponível”, ele tranquiliza os fãs.

Reencontro de parceiros da banda Angra marca show do Bittencourt Project no Anime Friends 2017

Os saudosos da antiga formação da banda Angra ganharam um presentão durante a apresentação do Bittencourt Project no palco Arena Friends, 16h, no terceiro e último dia de Anime Friends 2017. Depois de introduzir o público com músicas de seus projetos solos – especificamente dos álbuns Brainworms e Brainworms 2 –, o guitarrista e vocalista Rafael Bittencourt chamou ao palco aquele a quem chamou de “amigo”, o vocalista Edu Falaschi.

Bittencourt Project
Bittencourt Project. Foto por NB Press

Juntos ao também ex-Angra, Felipe Andreoli (no contrabaixo), Rafael, Edu e o restante da banda executou Rebirth, uma das preferidas do público presente. A grande surpresa, porém, ficou a cargo da canção seguinte: Pegasus Fantasy, nada menos que a abertura em português do anime mais popular do Brasil, Os Cavaleiros do Zodíaco (ou Saint Seiya).

Depois da despedida de Edu do palco, a apresentação do Bittencourt Project mostrou todo o potencial para antigos e novos fãs de heavy metal, com interpretações de canções como “O Pastor”, cover do grupo português Madredeus, e “Nacib Véio”, a faixa bônus do primeiro disco Brainworms.

Guilherme Briggs fala sobre o mercado de dublagens e emociona público com vozes de personagens famosos

Sem sombra de dúvidas, o painel que recebeu Guilherme Briggs, às 16h, no Palco BCC foi um dos mais lotados e disputados dos três dias de evento. O dublador responsável por dar voz ao Superman no Brasil por quase vinte anos, já entrou ao palco pedindo perguntas para o público. Muito simpático e acessível, Briggs recebeu presentes, deu atenção aos fãs e emocionou todos quando soltou um grito de “Ao infinito e além”, frase clássica dita pelo boneco astronauta Buzz Lightyear em Toy Story.

Guilherme Briggs falando sobre o mercado de dublagem. Foto por: NB Press
Guilherme Briggs falando sobre o mercado de dublagem. Foto por: NB Press

O artista falou um pouco sobre como ingressou nessa área, pois iniciou a carreira sem diploma de ator, mas com um talento nato. “Desde que eu era criança, fazia brincadeiras de dublagem com o meu pai. Ainda muito jovem, pedi um estágio em uma agência do segmento e, a partir disso, pude comprovar o meu trabalho para as empresas. Nessa época, as pessoas não gostavam de dublagem, não tinha glamour algum, mas sempre me chamou atenção”, explicou o carioca.

Outro trabalho de destaque em seu currículo é o Cosmo, um dos protagonistas da animação Os Padrinhos Mágicos. Quando questionado como foi trabalhar com a Nickelodeon, rede responsável por veicular o programa infantil, Biggs fez piada, mas não exitou em dizer: “É um saco, porque eles vetam tudo!”, disse o dublador. Por ser um canal infantil, não é permitido falar sobre violência, xingamentos, religiões, entre outros assuntos. “Isso limita a criatividade. Por isso, sempre que vocês verem longas ou seriados com bons profissionais da área, mas com um resultado ruim, provavelmente, é porque o cliente fez diversas exigências”, alertou o rapaz que também é responsável pelo blog Teatro de Bonecos.

Guilherme ressaltou ainda que, estúdios como Warner Bros, Paramount e Disney – em produções voltadas para adultos – dão bastante liberdade e permitem até palavrões. Para alegria dos fãs, o especialista disse algumas palavras nas vozes de Freakazoid; Rei Julien de Madagascar; Ele de As Meninas Superpoderosas; e Miss Piggy de Os Muppets.

Cosmix presta homenagem aos Cavaleiros do Zodíaco em uma apresentação recheada de nostalgia e efeitos especiais

Pouco antes do resultado da grande final nacional do WCS, os cosplayers do Grupo Cosmix apresentaram uma overdose de nostalgia ao recriar cenas da animação Cavaleiros do Zodíaco no Palco Fantasy. Com o tema “A batalha das 12 Casas”, seus integrantes com perucas estilizadas e outros apetrechos promoveram um show que contou com projeções e uma encenação resumida da saga de Seiya e seus companheiros. Como já era de se esperar, os gritos de tirar o fôlego de “Meteoro de Pégasus”, “Cólera do Dragão” e tantos outros golpes famosos dos protagonistas do anime levaram a plateia de fãs à loucura. O grupo existe desde 2014 e ficou famoso por confeccionar suas próprias armaduras. Essa foi a segunda grande apresentação do Cosmix nos palcos do Anime Friends.

T. M. Revolution fecha o Anime Friends 2017 e prova que japoneses também têm swing

Às 19h30, com uma grande produção visual, o Palco Arena Friends recebeu o T. M. Revolution. O artista entregou ao público um megashow com direito à jogo de luzes, projeções especiais e bailarinos. Ou seja, como toda a apresentação de uma boa estrela do pop deve ser. Ovacionado, Takanori Nishikawa abriu os trabalhos com a dançante Flags e colocou o Transamerica Expo Center para mexer o esqueleto, enquanto agitava com frases como “Vamos, Brasil!”, “Olá, São Paulo!” e “I Love You“.

Suas canções são um mix de j-pop com nuances de música eletrônica, capaz de levantar o astral de todos que as ouvem. Apesar de TMR – que significa Takanori Makes Revolution – ser seu trabalho solo, o artista conta com a ajuda de Akio Inoue para compor e Daisuke Asakura para organizar as melodias.

O primeiro sucesso de T. M. Revolution veio em 1996, com a canção Dokusai–monopolize. De lá pra cá, Takanori Nishikawa não parou, colecionando hits em sua carreira, sendo que muitos deles fizeram parte da trilha sonora de animações e games renomados, incluindo Mobile Suit Gundam e Sengoku BASARA. Durante duas décadas de trabalho, o artista rodou o mundo com suas turnês, foi indicado como o primeiro “Embaixador da Boa Vontade da Cidade Natal de Shiga” e tem apresentado o primeiro grande festival anual de música de rua do Distrito de Shiga, o “Inazuma Rock Festival”, em cooperação com as autoridades locais. Em 2016, ele participou do NHK Kohaku Uta Gassen cinco vezes, o que prova seu status como um artista nacionalmente popular.

Final da WCS Brasil

Por último, mas não menos importante, o encerramento do World Cosplay Summit Brasil (WCS Brasil) reuniu 13 duplas em uma competição final entre os melhores cosplayers do país. A dupla campeã irá participar da final, no Japão, em agosto. A equipe de jurados contou com a presença de Fernando Kamoi, Leia Kakao, Will, Reika e Yamato.

As 13 duplas elaboravam um roteiro ao redor dos personagens escolhidos, podendo ser diretamente relacionado com a história dos personagens ou não. Dentre as escolhas, houveram cosplays de Alice no país das maravilhas, Tekken, Super Smash Brothers, Pandora’s Tower, Final Fantasy 6, Castlevania, dentre outros.

A primeira edição da atração ocorreu em 2009, no Japão, transformando-se em sucesso imediato dentre os amantes da cultura pop oriental. Na seletiva nacional da edição de 2017, a dupla campeã foi Allan Mathias e Mariana Monteiro, que realizaram o cosplay de Zero e Iris, personagens do jogo Megaman X, título de ação oriental que virou febre mundial ao longo dos anos.

Você pode ver mais imagens do terceiro dia do Anime Friends 2017 no nosso Facebook.

Pague um café!

Gostou desse artigo? Que tal pagar um café ao nossos Autores? Eles ficaram felizes com seu apoio =)